31/07/2010

Poesia

Gastei uma hora
pensando um verso
que a pena não quer escrever.
No entanto ele está cá dentro
inquieto, vivo.
Ele está cá dentro
e não quer sair.
Mas a poesia deste momento
inunda minha vida inteira.
Carlos Drummond de Andrade

7 comentários:

myra disse...

que bom que colocou algo, e è lindo, como sempre...
beijossssssssssss

Danielle Macena disse...

muito bom seu poste
os textos de dele eh muito bom....
postei hj no meu um texto de Carlos Drummond de Andrade

as arteiras disse...

Olá, In Natura!
Muitas vezes ficamos como Drummond, sem saber o que escrever e como escrever.
Colocar no papel não é fácil...
Uma linda semana prá vc e o marido.
Bjs!!!
As arteiras

Dani Pedroza disse...

Estou muito feliz por ter vindo aqui hoje. Esse poema diz exatamente o que venho sentindo há dias. Hoje consegui postar um pequeno poema, mas é só um ensaio, o verdadeiro poema está aqui, flutuando acima da minha cabeça. Bjs.

poetaeusou . . . disse...

*
uma bela escolha
no cais da poesia,
nas marés,
de Carlos Drummond de Andrade !
,
conchinhas mareantes,
ficam,
,
*

tossan® disse...

É impossível não gostar de Drummond ou Quintana. Adorei! Estou igualzinho, não sai nada de dentro de mim. Beijo

▒▓█► JOTA ENE disse...

ººº
Gostei desta poesia